23 de mai de 2007

QUAL O SEU DIAGNÓSTICO - RESPOSTA

Resposta dos alunos VICTOR JOSÉ VIEIRA ROSSETTO e NATÁLIA BIANCHI LOPES, do 5o ano de Medicina Veterinária - UEL
1) Localize a lesão: é uma lesão assimétrica pois o membro posterior direito apresenta sinais de Neurônio Motor Superior, devido ao aumento do reflexo patelar (provavelmente lesão dos segmentos caudais da região entre T3 e L3) e o membro posterior esquerdo apresenta lesão do tipo Neurônio Motor Inferior, com reflexos ausentes a diminuídos, por acometimento dos segmentos L4-L5, L6, que dão origem ao nervo femoral.
2) Dê os diagnósticos diferenciais, em ordem de probabilidade
Os diferenciais devem considerar doenças de início agudo, assimétricas, sem dor, como o Embolismo fibrocartilaginoso com infarto medular,
Outras causas menos prováveis são a Doença do disco intervertebral, as Fraturas e Luxações decorrentes de trauma vertebral, (que não foi visto pelo proprietário) e neoplasias, mielites e discoespondilite como causas mais raras.
3) Como confirmar a sua suspeita: O diagnósticode Embolismo fibrocartilaginoso é feito pelo descarte das outras possibilidades, através da realização de radiografia simples, análise de líquor e mielografia. A história clínica também contribui para o diagnóstico, devido ao curso agudo, não progressivo (exceto para as primeiras horas) e paraplegia assimétrica, sem hiperpatia na maioria dos casos. O diagnóstico definitivo só é realizado pela histologia da medula espinhal e mais recentemente pela Ressonância magnética (quando disponível)
a) interprete as radiografias: Não há bloqueio ou desvio da coluna de contraste e não há alterações ósseas em coluna toracolombar e lombossacra, descartando dessa maneira os outros possíveis diagnósticos, ou seja, como a mielografia e o exame de líquor estão normais, o diagnóstico de embolismo fibrocartilaginoso é o mais provável.
b) Como você trata este cão? Não há tratamento para essa doença. Deve-se manter o animal em repouso , com cuidados de enfermagem e fisioterapia intensivos, para que não haja retenção urinária, assaduras, úlceras, contraturas e atrofias. Caso o animal fosse atendido até 8 horas após ter ficado paraplégico, a administração de succinato sódico de metilprednisolona poderia ser indicada. O uso prolongado de corticóides nesta doença não tem indicação.
c) Qual é o prognóstico Como provavelmente houve infarto da substância cinzenta medular da região lombossacra, o prognóstico é ruim e o déficit neurológico no membro posterior esquerdo provavelmente serão permanentes. No outro membro pode haver melhora.
LEITURAS SUGERIDAS:

Gandini G, Cizinauskas S, Lang J, Fatzer R, Jaggy A. J Small Anim Pract. 2003 ,44(2):76-80.Fibrocartilaginous embolism in 75 dogs: clinical findings and factors influencing the recovery rate. http://www.blackwell-synergy.com/doi/pdf/10.1111/j.1748-5827.2003.tb00124.x
Doige CE, Parent JM.Can J Comp Med. 1983 Oct;47(4):499-500. Fibrocartilaginous embolism and ischemic myelopathy in a four month old German shepherd dog. http://www.pubmedcentral.nih.gov/picrender.fcgi?artid=1235985&blobtype=pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário