22 de jul de 2010

Hemangiossarcoma cutâneo paravertebral em cão causando compressão medular

Rogério Anderson Marcasso; Mônica Vicky Bahr Arias;Paula Cava Rodrigues; Ana Paula Frederico Rodrigues Loureiro Bracarense

RESUMO

Um cão macho, scottish terrier, de sete anos foi atendido no Hospital Veterinário da Universidade Estadual de Londrina por apresentar paraplegia grau V e um nódulo em região dorso lombar direita de crescimento lento, com evolução de dois meses. Foi realizado mielografia, visibilizando-se interrupção na coluna de contraste entre as vértebras torácicas 11ª e 12ª. Assim, procedeu-se à hemilaminectomia nesta região, não sendo constatado compressão medular, procedendo-se a ampliação caudal da abertura
da lâmina vertebral T12. Na região da quarta vértebra lombar observou-se um desvio da medula espinhal para o lado esquerdo devido à presença de uma massa de coloração avermelhada proveniente do lado direito, diagnosticando-se infiltração tumoral em vértebras com compressão medular, não sendo possível sua remoção cirúrgica. Na histologia classificou-se o tumor como hemangiossarcoma. Este relato enfatiza a importância de considerar a possibilidade de neoplasias no diagnóstico diferencial de
paraplegias, mesmo em alterações clínicas agudas.

1 de jul de 2010

Primary brain T-cell lymphoma in a cat

Fabiano J. F. de Sant’Ana, Janildo L. Reis Junior, Corrie C. Brown, Ingeborg M. Langohr,Claudio S. L. Barros

Braz J Vet Pathol, 2010, 3(1), 56-59

A 10-year-old, female, mixed-breed cat was presented for necropsy with history of incoordination, circling and nystagmus or fixed gaze. Grossly, slight asymmetry was observed in the right telencephalic hemisphere, mainly in the pyriform lobe. Histologically, sheets of small round neoplastic cells were observed in the pons, midbrain, thalamus and in the subcortical white matter of the parietal, occipital and pyriform lobes. Neoplastic cells were strongly labeled with anti-CD3 antibody by means of immunohistochemistry. Anti-BLA36, CD79a and MAC387 failed to label the neoplastic cells. Based on the histopathological findings and on the immunohistochemical results, a diagnosis of primary brain T-cell lymphoma was made.

Ultrassonografia duplex Doppler transcraniana em cães com hidrocefalia

C.F. Carvalho1, M.C. Chammas, J.P. Andrade Neto, C.D. Jimenez4, S.A. Diniz, G.G. Cerri

Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. [online]. 2010, vol.62, n.1, pp. 57-63

Foi realizada a ultrassonografia duplex Doppler transcraniana em 32 cães, conscientes, que apresentavam ventriculomegalia previamente detectada ao exame modo-B, para obter as medidas dos ventrículos laterais e os parâmetros de resistência das artérias cerebrais antes e depois de 30 dias de tratamento clínico. Os animais foram distribuídos em dois grupos: 1 – formado por cães que apresentaram remissão ou diminuição dos sinais clínicos após tratamento; 2 – por cães que apresentaram piora dos sinais neurológicos ou estabilidade do quadro clínico. Todos os dados foram dispostos em tabelas e submetidos ao teste t pareado e a modelos de regressão logística para avaliar a influência da redução do índice de resistividade (IR). Não foi observada influência das variáveis em modo-B. Após o tratamento, a média do IR foi significantemente menor para o grupo que apresentou melhora clínica; não houve diferença significativa da média de redução do IR para a mesma artéria quando comparados os lados direito e esquerdo. Concluiu-se que o duplex Doppler transcraniano é um métodos de avaliação hemodinâmica capaz de monitorar mais precisamente o tratamento da hidrocefalia
em cães e verificar a resposta dos pacientes.