29 de fev de 2008

Avaliação dos resultados clínicos após cirurgia descompressiva em cães com doença de disco intervertebral

M.V.B. Arias I; C.M. Nishioka II; C.O. Garcia II; A.Z. Reia III; D. Baraúna Júnior II; R.A. Marcasso IV

IUniversidade Estadual de Londrina Caixa Postal 6001 86051-990 – Londrina
IIMédico veterinário autônomo
IIIMédica veterinária - Hospital Veterinário - UEL
IVMédico veterinário – Residente - UEL

Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. v.59 n.6 Belo Horizonte dez. 2007
Avaliaram-se os resultados clínicos após realização de cirurgia descompressiva em 45 cães com doença do disco intervertebral cervical ou toracolombar. Após a cirurgia, 35 cães (77,8%) recuperaram-se totalmente, oito (17,8%) parcialmente e dois (4,4%) não apresentaram alteração do quadro inicial. Em oito cães com paraplegia e perda da sensibilidade dolorosa profunda houve completa melhora do quadro clínico, com recuperação total em 62,5% dos casos. Em quatro cães com tetraparesia, a cirurgia foi eficaz. A cirurgia descompressiva (slot cervical e hemilaminectomia toracolombar), com a retirada do material do disco do interior do canal vertebral, foi uma forma efetiva de gerar melhora do quadro funcional.
Link:

22 de fev de 2008

DESORDENS QUE MIMETIZAM DOENÇAS ESPINHAIS

As doenças da medula espinhal ou as lesões medulares decorrentes de afecções da coluna vertebral devem ser consideradas em animais com dor, dificuldade de locomoção, ataxia, paresias e tetraparesias. Após realização de exame neurológico pode-se geralmente localizar a lesão em uma das síndromes medulares (cervical, cervicotorácica, toracolombar e lombosacra - ver postagens antigas). Como já mostrado o exame neurológico deve ser minucioso, sendo importante ainda considerar a raça e a idade do paciente, se a condição é aguda ou crônica, progressiva ou estática, a presença ou ausência de dor, a ocorrência de trauma, vacinação, função da bexiga entre outros.
Mas é muito importante o exame clínico completo e ortopédico, para diferenciar as doenças que causem sinais que mimetizam doenças espinhais, principalmente quando há dor inespecífica, intolerância ao exercício, fraqueza ou claudicação.
Assim, é importante considerar os seguintes diferenciais:
1) doenças sistêmicas
insuficiência cardíaca
hipertensão
endocardite
doença em vias aéreas superiores
hipoglicemia
hipocalcemia
addison
2) doenças ortopédicas uni ou bilaterais
osteocondrite dissecante
ruptura de ligamento cruzado
displasia coxofemoral
luxação de patela
artrite séptica
fraturas
neoplasias ósseas
contratura do músculo infraespinhal
ruptura do tendão do gastrocnêmio
3) doenças ortopédicas generalizadas
osteodistrofia hipertrófica
poliartrite
panosteíte
mieloma múltiplo
hiperparatireoidismo nutricional
4) desordens neuromusculares
neuropatias
radiculopatias
doenças da junção neuromuscular
miopatias generalizadas
Referências:


18 de fev de 2008

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE DOR DIFUSA EM CÃES

Entre as doenças neurológicas que afetam os cães, a doença do disco intervertebral na região cervical pode causar muita dor, que pode ser aguda ou crônica. Para o diagnóstico correto, é indicado a palpação da musculatura paraespinhal e da coluna vertebral ao invés de somente realizar a flexão e extensão do pescoço.
A doença do disco intervertebral cervical é uma das poucas doenças em que os cães gritam espontaneamente. Freqüentemente os animais não respondem à medicação analgésica.
Na doença do disco toracolombar a dor costuma ser menos intensa que na região cervical. O animal pode apresentar cifose e desconforto quando é pego no colo. A dor sem sinais neurológicos (Ex: ataxia e paresia) pode ser mal interpretada como de origem ortopédica ou abdominal. Assim, é importante considerar as seguintes doenças no diferencial de cães com dor difusa ou cervical:
  • Dor difusa
  1. poliartrite
  2. polimiosite
  3. meningoencefalites
  4. fraturas vertebrais patológicas
  5. pancreatite
  6. cálculos renais ou ureterais
  7. doenças prostáticas
  • Dor cervical
  1. bursite bicipital
  2. dor orofaríngea ou da articulação temporomandibular
  3. otite média
  4. neoplasias, abscessos ou massas em tecidos moles do pescoço
  5. poliartrite
  6. polimiosite
  7. afecções intratorácicas
  8. siringohidromielia
  9. neoplasias intracranianas
  10. subluxação atlantoaxial
  11. espondilomielopatia cervical caudal
  12. fratura vertebral patológica
  13. meningomielites