9 de out de 2017

Aparência tomográfica dos discos intervertebrais mineralizados em cães da raça Dachshund Miniatura

Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.69, n.4, p.941-947, 2017

link

D. Baraúna Júnior , T.H.T. Fernandes , I.C.C. Silva , M.A. Bonelli , C.R.O. Santos , M.M.A. Amorim, F.S. Costa , E.A. Tudury

RESUMO: Objetivou-se com este trabalho descrever os aspectos de tomografia computadorizada de discos intervertebrais de cães da raça Dachshund com um ano de idade, assim como quantificar, qualificar e localizar a mineralização nos componentes do DIV e no espaço intervertebral da coluna vertebral. Dez cães dessa raça, com um ano de idade, foram submetidos à tomografia computadorizada (TC). Nas imagens de reconstrução sagital dos animais, procedeu-se à identificação de sete DIV em cada animal, entre as vértebras T9 e L3, totalizando a análise de 70 DIV. Entre os DIV mineralizados, a presença da alteração foi determinada quanto à localização no núcleo pulposo (NP), no anel fibroso (AF) e em AF/NP. Dos 70 DIV avaliados, 45 foram considerados como mineralizados. Entre os classificados como mineralizados, 20% (9/45), 17,8% (8/45) e 62,2% (28/45) estavam localizados nas regiões do NP, AF e AF/NP, respectivamente. A mineralização encontrada neste estudo esteve caracterizada por aumento de atenuação radiográfica com densidade mineral na topografia do DIV, havendo variações da localização e da radiodensidade de área calcificada entre animais e DIV no mesmo indivíduo. As alterações relativas à mineralização dos DIV podem ser classificadas tomograficamente quanto à localização da alteração no disco em AF, NP e AF/NP. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário