15 de mar de 2013

Diagnóstico clínico e radiográfico de luxação traumática da articulação atlanto-occipital em dois cães



l
ink para a publicação



B.M. Araújo
, M.L. Figueiredo
, A.C. Silva
, T.H.T. Fernandes
, E.A. Tudury


Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.65, n.1, p.133-138, 2013 

RESUMO
A luxação da articulação atlanto-occipital é considerada uma afecção incomum no homem e nos animais. 
Radiografias laterais são recomendadas para o diagnóstico. No entanto, estão sujeitas a erros relacionados 
ao ângulo de radiação, ao alvo da imagem, à distância e à sobreposição óssea. Objetivou-se neste relato 
descrever os achados clínicos e radiográficos de dois cães com luxação traumática da articulação atlantooccipital que apresentavam tetraparesia, dor cervical cranial, incapacidade de elevar a cabeça e déficits de nervos cranianos. No primeiro animal, observaram-se deslocamento craniodorsal do processo articular do atlas em relação a um dos côndilos do occipital, ausência de sobreposição dos forames vertebrais laterais e sobreposição do côndilo do occipital ao processo articular do atlas, no lado direito, caracterizando uma luxação unilateral. No segundo animal, observou-se deslocamento craniodorsal dos processos articulares do atlas em relação aos côndilos do occipital, com sobreposição dos forames vertebrais laterais e ausência de visibilização dos côndilos do occipital em virtude da projeção cranial dos processos articulares do atlas em direção ao crânio, caracterizando luxação bilateral. Conclui-se que o exame radiográfico simples, nas projeções laterolateral e ventrodorsal, apesar da dificuldade de ser interpretado, é eficiente para confirmar o diagnóstico da luxação atlanto-occipital traumática, tanto a simétrica quanto a assimétrica.

ABSTRACT
Atlanto-occipital luxation is considered rare in both humans and animals. Lateral radiographs are recommended for diagnosis, however, errors may occur related to the angle of radiation, image target, distance and overlapping of bone. Our objective is to report the clinical and radiographic findings in two dogs with traumatic atlanto-occipital luxation, which had tetraparesis, cranial neck pain, and inability to raise the head and cranial nerve deficits. The first animal had a cranio-dorsal dislocation of the articular process of the atlas in relation to one of the occipital condoles, with no overlapping of the transverse foramens or overlapping of the occipital condile in relation to the articular process of the atlas, on the right side, which characterizes a unilateral luxation. The second animal presented with a cranio-caudal dislocation of the articular processes of the atlas regarding the occipital condoles, with overlapping of the transverse foramens and inability to visualize the occipital condoles due to the cranial advancement of the articular processes of the atlas towards the skull, which characterizes a bilateral luxation. We conclude that a simple radiographic exam, in lateral and ventrodorsal projections, though difficult to interpret, is efficient in confirming a diagnosis of traumatic atlanto-occipital luxation, both symmetric and asymmetric.

Nenhum comentário:

Postar um comentário