1 de jul de 2010

Ultrassonografia duplex Doppler transcraniana em cães com hidrocefalia

C.F. Carvalho1, M.C. Chammas, J.P. Andrade Neto, C.D. Jimenez4, S.A. Diniz, G.G. Cerri

Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. [online]. 2010, vol.62, n.1, pp. 57-63

Foi realizada a ultrassonografia duplex Doppler transcraniana em 32 cães, conscientes, que apresentavam ventriculomegalia previamente detectada ao exame modo-B, para obter as medidas dos ventrículos laterais e os parâmetros de resistência das artérias cerebrais antes e depois de 30 dias de tratamento clínico. Os animais foram distribuídos em dois grupos: 1 – formado por cães que apresentaram remissão ou diminuição dos sinais clínicos após tratamento; 2 – por cães que apresentaram piora dos sinais neurológicos ou estabilidade do quadro clínico. Todos os dados foram dispostos em tabelas e submetidos ao teste t pareado e a modelos de regressão logística para avaliar a influência da redução do índice de resistividade (IR). Não foi observada influência das variáveis em modo-B. Após o tratamento, a média do IR foi significantemente menor para o grupo que apresentou melhora clínica; não houve diferença significativa da média de redução do IR para a mesma artéria quando comparados os lados direito e esquerdo. Concluiu-se que o duplex Doppler transcraniano é um métodos de avaliação hemodinâmica capaz de monitorar mais precisamente o tratamento da hidrocefalia
em cães e verificar a resposta dos pacientes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário